Notícias

Depois de Rosamund Pike (Garota Exemplar) e Charlize Theron (Lugares Escuros), chegou a vez de Amy Adams viver uma das obras sombrias de Gillian Flynn. A atriz será a protagonista da adaptação televisiva de Objetos Cortantes, o primeiro livro da elogiada autora.

Produzida pela HBO, a minissérie será dirigida por Jean-Marc Vallée (Clube de Compras Dallas, Livre), que revelou a data do início das filmagens: 6 de março. Durante entrevista para o Collider, o cineasta também contou que o plano inicial era transformar Objetos Cortantes em filme, mas a ideia mudou após a chegada da produtora Marti Noxon (UnREAL), que assume a função de showrunner.

Objetos Cortantes conta a história da repórter Camille Preaker (Adams), que retorna (a contragosto) para sua cidade natal a fim de investigar os assassinatos de duas garotas pré-adolescentes. Ao mesmo tempo, a jornalista – recém-saída de um hospital psiquiátrico – precisa conviver com a mãe hipocondríaca e a meia-irmã que mal conhece.

A previsão de lançamento para Objetos Cortantes é só para 2018

COMPARTILHE NAS REDES SOCIAIS 0 Comentários

É incrível! Estou nervosa, eu não sou boa em falar em público, então…
Mas estou muito animada e fui honrada aqui em 2007 bem quando “Encantada” foi lançado então é uma ótima hora para voltar já que “Encantada 2” está meio que em processo, então estou muito animada!

“Qual é a sua parte favorita em ser uma mulher em Hollywood?”
Eu acho que é a habilidade de provocar mudanças, eu acredito em fazer isso sutilmente, de forma silenciosa mas eu ainda acredito em mudança concretizada, sabe, nas suas interações do dia a dia com as pessoas.

“Recentemente você falou sobre como você está explicando para a sua filha o que você faz para viver, o que foi hilário, chorar ao comando, o que você faria se sua filha dissesse que ela queria ser uma atriz?”
Eu a apoiaria, eu a encorajaria a encontrar uma ótima comunidade para se envolver, eu a levaria para o teatro para que ela começasse lá e tivesse uma boa base de ética de trabalho. Leva muito esforço, eu a encorajaria.

COMPARTILHE NAS REDES SOCIAIS 0 Comentários

Amy Adams é certamente uma das atrizes mais versáteis de sua geração. Somente neste final de ano, ela está em duas produções completamente distintas, a ficção científica ‘A Chegada’ (que estreia dia 24 de novembro) e o suspense psicológico ‘Animais Noturnos’ (29 de dezembro). Ambos podem render a ela uma nova indicação ao Oscar, que seria a sexta de sua carreira.

Parte desta oportunidade de mostrar seu talento em papéis tão diferentes um do outro Amy credita ao fato de usar cabelos ruivos: “Isso realmente mudou as coisas. As pessoas passaram a me ver de outra maneira, para papéis diferentes”, disse a atriz esta semana, durante um evento do The New York Times.

A atriz, originalmente loira, começou a pintar o cabelo em 2004, quando fez testes para a série ‘Dr. Vegas’. Como já havia outra loira no elenco, os produtores pediram para que Amy tingisse as madeixas de vermelho, tom que adotou desde então.

“Baseado nos papéis para os quais eu vinha sendo chamada, as pessoas me relacionavam a um tipo de personagem e, assim que virei ruiva, eu era vista como alguém esperta e divertida, em vez de alguém boba e que gosta de flertar”. Uma prova de como a indústria de Hollywood gosta de estereotipar atores e atrizes.

Tanto é que, em 2005, já como ruiva, Amy recebeu sua primeira nomeação para o prêmio da Academia, pelo filme independente ‘Retratos de Família’. Coincidência? Não parece.

COMPARTILHE NAS REDES SOCIAIS 0 Comentários

Apesar de ter cinco indicações ao Oscar no currículo, a atriz Amy Adams disse se sentir “insincera” fazendo campanha para si mesma durante a temporada de prêmios de Hollywood, embora seja cada vez maior o burburinho a respeito de sua atuação mais recente no papel da linguista intuitiva da ficção científica “A Chegada”.
“Tenho que fazer com que seja algo além de mim, porque me promover me parece insincero”, disse ela à Reuters, acrescentando que preferiria chamar a atenção para pessoas “que talvez não estejam no pôster” do filme.
Ela falou sobre “A Chegada”, que estreia nos cinemas dos Estados Unidos nesta sexta-feira, de suas minúcias linguísticas e da reprise do papel de princesa Giselle na sequência da animação “Encantada”. A seguir, alguns trechos editados da conversa.

P: O que “A Chegada” oferece de tão diferente do que vemos normalmente em filmes de ficção científica?

R: Aquilo a que nos acostumamos nos últimos tempos são filmes que oferecem ação e grandes riscos dentro dessa ação, e de fato temos grandes riscos e temos ação, mas (o filme) é contado de uma maneira muito paciente e descontraída que mantém você ligado sem te distrair com um monte de efeitos. Também há um tema central profundamente emotivo que carrega você durante o filme.

P: Como você entendeu o trabalho de linguistas como sua personagem, a doutora Louise Banks?
R: Quando entrei nisto, supus erradamente que um linguista é mais como um intérprete, ou só um tradutor, mas eles realmente trabalham com barreiras linguísticas, barreiras de comunicação, a maneira como nós, culturas diferentes, abordamos a linguagem.
Quando aprendi mandarim, o pouco que aprendi para o filme, só mudar o tom da voz muda todo o sentido de uma frase, e isso é algo que, falando inglês, não necessariamente entendemos.

P: Como o filme ecoa o mundo atual?
R: Acho que mesmo no ano que se passou desde que o fizemos ele se tornou ainda mais relevante, infelizmente. Ele se tornou relevante, e ficou claro no dia a dia que as divisões que criamos (mais tarde) criam medo, criam violência. Isso realmente não nos leva adiante como sociedade global.

P: Está empolgada com “Desencantada”, a sequência de “Encantada”, de 2007?
R: Com certeza, todos nós. Os membros do elenco, se tivermos a sorte de trazer todos de volta, todos nós tivemos vidas tais nos últimos 10 anos que será realmente interessante de ver… gosto do título, acho que vem a propósito, me dá a sensação de ser perfeito.

FONTE

COMPARTILHE NAS REDES SOCIAIS 0 Comentários

Seis anos depois de ter sido mãe pela primeira vez, da pequena Aviana, Amy Adams confessa numa nova entrevista as mudanças que a estreia na maternidade trouxe à sua vida, mais especificamente, à sua própria personalidade.

“A maternidade abriu-me os olhos e fez-me olhar para fora de mim. Odeio pensar que estava tão focada no meu umbigo antes de ter a minha filha. Sinto que agora consigo olhar para as coisas com uma perspetiva diferente”, disse a atriz de 42 anos, com nacionalidade norte-americana e italiana, à Sky News.

A chegada da sua primeira filha, fruto do relacionamento de Amy Adams com o ator Darren Le Gallo, também afetou o seu desempenho no mundo da representação, para melhor, como se vê no mais recente filme da atriz, ‘Arrival’, que tem estado a promover nos últimos dias, e no qual interpreta uma mãe que perde o seu filho.

“Teria sido uma performance completamente diferente se não fosse mãe na vida real. Simplesmente, tenho agora uma relação diferente com a compaixão desde que me tornei mãe. E compaixão por outras pessoas, não apenas pela minha filha”, frisou Adams.

A estrela de Hollywood acrescentou que Aviana não olha para a mãe como uma atriz popular e de sucesso. “Ela define o mundo mediático de forma diferente da minha. Ela diz-me: ‘Mãe, eu sou muito mais rock ‘n’ roll do que tu’”, remata a atriz, bem-disposta.

COMPARTILHE NAS REDES SOCIAIS 0 Comentários

Amy Adams, Lupita Nyong’o e Kristen Stewart foram à premiação da revista “ELLE na noite desta segunda-feira, 24, nos Estados Unidos. A 23ª edição do ‘ELLE Women In Hollywood Awards’ foi em Los Angeles. O prêmio homenageia todos os anos algumas das mulheres de Hollywood!

 

elle

 

Amy Adams em premiação em Los Angeles, nos Estados Unidos (Foto: Frazer Harrison/ Getty Images/ AFP)

COMPARTILHE NAS REDES SOCIAIS 0 Comentários

Baseada no romance “Tony and Susan”, de Austin Wright, a trama gira em torno de Susan Morrow (Amy Adams), uma negociante de arte de Los Angeles que vive uma vida privilegiada, mas incompleta, ao lado de seu marido Hutton Morrow (Armie Hammer). Em um final de semana, após Hutton partir em uma de suas frequentes viagens de negócios, Susan recebe um pacote inesperado: um livro escrito por seu ex-marido, Edward Sheffield (Jake Gyllenhaal), e dedicado a ela. Uma publicação violenta e desoladora.

Armie Hammer, Michael Shannon, Kim Basinger e Aaron Taylor Johnson completam o elenco.

Animais Noturnos estreia em 29 de dezembro no Brasil depois de passar pelo Festival do Rio e pela 40ª Mostra de SP.

Assista ao Trailer:

COMPARTILHE NAS REDES SOCIAIS 0 Comentários

“A Chegada” ganha trailer final que ainda mantém o mistério vivo

Fãs de ficção-científica nunca tiveram anos tão promissores no cinema, com inúmeros títulos chegando todos os meses. Um dos aguardados do gênero é A Chegada.
SINOPSE:
Quando uma misteriosa espaçonave toca o solo em todo o mundo, uma equipe de elite – liderada pela especialista linguista Louise Bancos – é reunida para investigar. À medida que a humanidade oscila à beira de uma guerra global, Banks e a equipe correm contra o tempo por respostas – e para encontra-las ela terá uma chance que poderia ameaçar sua vida e, possivelmente, a humanidade.

Depois de estrear no Festival Internacional de Cinema de Toronto, o drama do diretor Denis Villeneuve está prestes a chegar para o grande público.

E na última quinta-feira (20) a Paramount Pictures divulgou o trailer final do filme, apesar de curto, nos mostra uma síntese do que esperar da história.
Quem conseguiu ver o filme durante o festival em Toronto revelou que a produção se assemelha mais com Interestelar do que Independence Day. Ou seja, o longa-metragem se foca mais em questionamentos existenciais diante de uma chegada alienígena e como os seres humanos se portam diante disso.

COMPARTILHE NAS REDES SOCIAIS 0 Comentários
hqcelebcorner_282529.jpg
hqcelebcorner_282429.jpg
hqcelebcorner_282329.jpg
hqcelebcorner_282229.jpg
hqcelebcorner_282129.jpg
hqcelebcorner_282029.jpg
hqcelebcorner_281929.jpg
hqcelebcorner_281829.jpg
hqcelebcorner_281729.jpg
hqcelebcorner_281629.jpg